Maranhão Independente

As notícias mais importantes escritas por jornalistas independentes do estado.
Advogada tem carro alvejado no Cohajap; ato teria sido cometido por policial

Ao sair de um bar localizado no bairro do Cohajap na noite do último sábado (22), uma advogada* se deparou com seu carro – novo, comprado há apenas quatro meses – alvejado com oito tiros. No centro do vidro traseiro, entre os buracos causados pelas balas, um adesivo de seu candidato à presidência, Luiz Inácio Lula da Silva, do PT. De todos os carros estacionados no local, apenas o dela foi atingido.

Pouco antes de sair do bar, a advogada foi perguntada pelo dono do estabelecimento se o veículo em questão, da marca Gol, pertencia a ela; ao confirmar, recebeu a notícia. O proprietário do bar, segundo o Boletim de Ocorrência registrado na manhã do domingo (23), explicou que o autor dos tiros foi um policial, dono de um Corola preto, que havia sido assaltado em um bar próximo e que, ao tentar atingir os bandidos, acabou acertando o carro da advogada – oito vezes. Por sorte, não havia ninguém dentro.

“Que conduta de um agente de disparar dessa forma, irresponsável, sem um pingo de proporcionalidade ou razoabilidade, e colocar a vida de tantas pessoas em risco?”, questiona a advogada. Ela conta, ainda, que algumas pessoas que estavam na porta tiveram que se jogar no chão para tentar se proteger dos projéteis. “Graças a Deus tinha um carro no meio para reduzir o impacto. Senão, hoje, estaríamos falando de pessoas mortas”, pontua.

O acontecimento ganhou repercussão pela possibilidade de se tratar de um crime com motivação política – mas isto ainda não pode ser confirmado. A família está em busca de gravações de câmeras de segurança do local e o caso está sendo investigado. O autor dos disparos ainda não foi identificado.

“Nós precisamos achar essa pessoa, se é policial ou não. Ele tem que arcar com as consequências dos atos dele. Eu tive um prejuízo material muito grande, mas o trauma ficou para todo mundo que foi envolvido de graça na história, só porque um cara bêbado resolveu dar tiros”, desabafa a advogada.

*A advogada preferiu não identificar seu nome.

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.