Maranhão Independente

As notícias mais importantes escritas por jornalistas independentes do estado.

Notícias nacionais no Maranhão Independente.

Vereador propõe a criação de central de emprego exclusiva para pessoas com deficiência

O vereador Aldir Júnior (PL) elaborou o Projeto de Lei n.º 014/22 que propõe a criação da CEPPDE – Central de Empregos para Pessoas Portadores de Deficiência, essa central atuaria exclusivamente para pessoas com deficiência (PCDs) facilitando o acesso delas ao mercado de trabalho.

Leia mais

Startup maranhense cria ferramenta para facilitar acesso a serviços de saúde

As maranhenses Juliana Nogueira e Ádani Robson, CEOs da startup QTM, criaram uma ferramente com o objetivo de conectar terapeutas, com seus pacientes, com outros terapeutas, além de coworkings (locais compartilhados de trabalho) e produtos.

Leia mais

Fiscalização de madeireiros pelo Governo do MA é ineficiente, diz Sônia Guajajara

“O Governo do Estado tem que assumir a responsabilidade de segurança pública e proteção ambiental, e não só empurrar pro Governo Federal, como sempre se fez”, afirmou a liderança indígena em entrevista exclusiva ao Maranhão Independente

Leia mais

Alcântara vacinada é ‘conquista do movimento quilombola’

A razão para que Alcântara se tornasse a primeira completamente vacinada se deve ao fato de ser o maior lar de quilombolas do país – com quase 200 comunidades – e este grupo ser considerado prioridade para o Plano Nacional de Imunização (PNI).

Em nota pública, a MABE ressaltou a necessidade de atribuir os resultados à luta dos quilombolas de Alcântara e à Coordenação Nacional de Articulação de Quilombos (CONAQ), responsável por acionar o Supremo Tribunal Federal e obrigar o Estado a incluir quilombolas brasileiros como grupo prioritário.

A ação foi ajuizada pela CONAQ juntamente com o Partido Socialista Brasileiro (PSB), o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), o Partido Comunista do Brasil (PCdoB), a Rede Sustentabilidade e o Partido dos Trabalhadores (PT). A partir dela, o Governo Federal teve um prazo de 72 horas para formar um grupo de trabalho – com representantes de comunidades quilombolas – que se tornaria responsável por monitorar a execução do plano de imunização.

Leia mais