Maranhão Independente

As notícias mais importantes escritas por jornalistas independentes do estado.
Paralimpíadas: tênis de mesa

Atleta de tênis de mesa Bruna Alexandre. Foto: ITTF.

Entrando no clima das Paralimpíadas, o MaInd está realizando uma série de matérias sobre os esportes que vão fazer parte dos jogos. Conheça mais sobre o tênis de mesa.

As regras do tênis de mesa são praticamente as mesmas damodalidade nas Olimpíadas e o objetivo é conseguir marcar primeiro os 11 pontos nos 5 sets disputados. Em caso de empate em 10 a 10, vence o set o atleta ou dupla que conseguir abrir 2 pontos de diferença.

A diferença mais importante é em relação ao saque dos atletas cadeirantes que é diferente dos demais.

Veja um resumo das regras:

Vídeo: Comitê Paralímpico Brasileiro.

Quem pode praticar o tênis de mesa?

As competições são realizadas com atletas masculinos e femininos  com paralisia cerebral, ou amputados, ou cadeirantes.

Esses atletas são divididos em 11 classes:

  • de 1 a 5 para cadeirantes;
  • de 6 a 10 para andantes;
  • e a 11 para andantes com deficiência intelectual.

Tênis de mesa nas Paralimpíadas

A estreia da modalidade nos Jogos Paralímpicos aconteceu em Roma no ano de 1960 e era praticada po atletas em cadeiras de rodas.

Apenas nos Jogos de Toronto em 1976 atletas em pé começaram a participar da competição, ano em que o Brasil levou seus primeiros representantes.

As disputas são realizadas individualmente, em duplas ou por equipes.

Medalhas do Brasil

  • PRATA (equipe) – Welder Camargo Knaf e Luiz Algacir da Silva (Pequim/2008)
  • PRATA (individual) – Israel Stroh (Rio de Janeiro/2016)
  • BRONZE (individual) – Bruna Alexandre (Rio de Janeiro/2016)
  • BRONZE (duplas) – Bruna Alexandre, Danielle Rauen e Jennyfer Parinos (Rio de Janeiro/2016)
  • BRONZE (equipes) – Iranildo Espíndola, Aloísio Lima e Guilherme da Costa (Rio de Janeiro/2016)

Próximos representantes

Atletas na sede da Confederação Brasileira de Tênis de Mesa
Foto: Reprodução/CBTM.

O Brasil vai levar uma grande delegação para Tóquio:

  • Bruna Alexandre (SC)
  • Carlos Júnior (SP)
  • Catia Oliveira (SP)
  • Danielle Rauen (SC)
  • David de Freitas (CE)
  • Israel Stroh (SP)
  • Jennyfer Parinos (SP)
  • Joyce Quinzote (SP)
  • Lethicia Lacerda (GO)
  • Luiz Manara (SP)
  • Marliane Santos (MG)
  • Paulo Filho (SP)
  • Welder Knaf (PR)

(+7 membros da comissão técnica)

Tênis em cadeira de rodas

  • Ana Caldeira (MG)
  • Daniel Rodrigues (MG)
  • Gustavo Silva (MG)
  • Maurício Pomme (SP)
  • Meirycoll da Silva (MG)
  • Rafael Gomes (MG)
  • Ymanitu da Silva (SC)

(+3 membros da comissão técnica)

Quer ser um atleta paralímpico? Acesse o site da Confederação Paralímpica Brasileira clicando aqui

Leia outras matérias da série clicando aqui.

Doações para o portal Maranhão Independente devem ser feitas para o pix giovanakury@gmail.com

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.