Maranhão Independente

As notícias mais importantes escritas por jornalistas independentes do estado.
Paralimpíadas: natação

Daniel Dias é um dos grandes nomes brasileiros da natação paralímpica. (Foto: Agência Brasil)

Entrando no clima das Paralimpíadas, o MaInd está realizando uma série de matérias sobre os esportes que vão fazer parte dos jogos. Conheça mais a natação!

A natação é uma das modalidades presentes nos Jogos Paralímpicos desde sua primeira edição em 1960, sediada em Roma. As provas que inicialmente eram disputadas por atletas com lesões medulares, hoje inclui pessoas com deficiências fisico-motoras, visuais e intelectuais.

As categorias de provas são:

  • 50, 100, 200 e 400 metros livres;
  • 50 e 100 m borboleta;
  • 50 m peito;
  • 50 e 100 m costa;
  • 150 e 200 m medley;
  • e revezamentos.

Existe a classificação dos atletas de acordo com o grau de deficiência onde, quanto menor a classificação, maior o grau. Elas são identificadas por “S” de Swimming (nado em inglês) e são definidas:

  • S: nado livre, peito e borboleta;
  • SB: nado peito;
  • SM: nado medley.

Dentro dessas classificações, há ainda:

  • 1 a 10: atletas com limitações físico-motoras;
  • 11 a 13: deficiência visual;
  • 14: deficiência intelectual.

Os atletas contam com algumas adaptações de acordo com a deficiência. Nas provas disputadas por competidores com deficiência visual por exemplo, os nadadores entram são auxiliados por um tapper – com uma espécie de bastão – para avisar o momento da virada e chegada. Eles também precisam usar óculos próprios, totalmente opacos, para garantir a igualdade entre os participantes.

Dependendo da deficiência, os competidores podem largar de dentro da piscina ou sentados, seja no bloco de partida ou ao lado do bloco.

A natação brasileira nas Paralimpíadas

A atleta está na piscina, com os braços submersos e a cabeça erguida; ela está de óculos e com uma touca azul. ela é branca.
A atleta Esthefany Rodrigues também está na luta por medalhas para o Brasil. (Foto: Daniel Zappe/MPIX/CPB)

O Brasil tem uma trajetória espetacular na natação paralímpica. É a modalidade na qual o país têm mais medalhas, sendo 32 de ouro, 34 de prata e 36 de bronze, totalizando 102. Só perde para o atletismo (142).

São muitos os nomes dos brasileiros que fizeram história na natação paralímpica, mas aqui destacamos Clodoaldo Silva que, nos Jogos disputados em Atenas-2004, conquistou seis medalhas de ouro; outro grande nome é o de Daniel Dias, que conquistou nove medalhas em Pequim-2008 (sendo quatro de ouro), seis ouros em Londres-2012 e nove medalhas na Rio-2016 (sendo quatro de ouro).

Nessa edição de Tóquio, a natação é a segunda modalidade com o maior número de representantes brasileiros: 35. Os atletas classificados são:

Ana Karolina Soares, Andrey Garbe, Beatriz Carneiro, Bruno Becker, Caio Amorim, Cecília Araújo, Daniel Dias, Débora Carneiro, Douglas Matera, Edênia Garcia, Eric Tobera, Esthefany Rodrigues, Felipe Caltran, Gabriel Bandeira, Gabriel Cristiano, Gabriel Geraldo, Gabriel Melone, Joana Neves, João Pedro Brutos, Laila Suzigan, Lucilene Sousa, Maiara Barreto, Maria Carolina Santiago, Mariana Gesteira, Matheus Rheine, Patrícia Pereira, Phelipe Rodrigues, Roberto Alcade, Ronystony Cordeiro, Ruan Souza, Ruiter Silva, Susana Schnanrdorf, Talisson Glock, Vanilton Filho e Wendell Belarmino.

Ficou com alguma dúvida? Veja o vídeo abaixo!

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.