Maranhão Independente

As notícias mais importantes escritas por jornalistas independentes do estado.
Paralimpíadas: atletismo (corrida)

Atualmente, o Brasil é uma potência paralímpica no atletismo. (Foto: reprodução/facebook)

Entrando no clima das Paralimpíadas, o MaInd está realizando uma série de matérias sobre os esportes que vão fazer parte dos jogos. Conheça mais sobre o atletismo paralímpico (corrida)!

O fato que marcou a primeira competição do atletismo nos moldes paralímpicos foi uma corrida realizada entre cadeirantes em 1952; a primeira vez que a modalidade esteve em uma Paralimpíadas foi na edição de Roma, em 1960. Medalhas para o Brasil no esporte somente em 1984, onde conseguiu seis medalhas de ouro, doze de prata e três de bronze. Desde então, o Brasil tem se tornado uma verdadeira potência na corrida paralímpico.

As provas

No atletismo paralímpico podem participar atletas com deficiências físicas, visuais e intelectuais, em que cada competidor disputa em uma classe específica, de acordo com o grau de deficiência.

Leia mais na nossa ediitoria de Esporte!

As provas são disputadas por homens e mulheres e cada modalidade recebe uma classificação de acordo com o espaço onde ocorrem:

T (Track ou Pista)

  • Corrida (100 metros, 200 m, 400 m, 1.500 m, revezamento 4×100 m e 4×400 m;
  • Meio fundo (800 m, 1.500 m);
  • Fundo (5.000 m e 10.000 m);
  • Salto em distância;
  • Salto em altura
  • Salto triplo.

Rua

  • Maratona (42 km);
  • Meia-maratona (21 km);

F (Field ou Campo)

  • Lançamento de disco e club;
  • Lançamento de dardo;
  • Arremesso de peso.

Como dito anteriormente, há uma divisão de categorias entre os atletas de acordo com o grau da deficiência, de forma que haja uma competição justa. As corridas concentram-se na pista e na rua. Confira abaixo a divisão das provas que ocorrem nessa categoria:

T de Track

Os grupos divididos que consideram o grau de deficiência nesta classificação são:

De T11 a T13:  Deficiências visuais

T20: Deficiências intelectuais

T31 a T38: Paralisados cerebrais (31 a 34 para cadeirantes: 35 a 38 para andantes)

T40 e T41: baixa estatura

T42 a T44: Deficiência nos membros inferiores

T45 a T47: Deficiência nos membros superiores

T51 a T54: Competem em cadeiras de rodas

T61 a T64: Amputados de membros inferiores com prótese

Já nas provas que ocorrem no campo, os atletas são divididos nas seguintes categorias:

O auxílio de apoio e atletas-guias varia de acordo com a categoria disputada. Nas classificações T11, um atleta-guia corre junto com o competidor e nas provas de salto, conta-se com apoio; no T12, atleta-guias e apoios são opcionais; já no T13 é proibido o uso tanto de atletas-guia quanto de apoio.

Nas provas mais longas, como as de 5.000 e 10.000 e nas maratonas, os paratletas podem ser acompanhados por até dois atletas-guias; se houver pódio, apenas o atleta-guia que terminar a corrida ganha medalha; o outro, não.

Histórico do Brasil

Em uma pista, quatro paratletas do atletismo paralímpico com próteses nas pernas estão correndo; na frente está um brasileiro, o Alan, com uma camisa meio azul meio verde, com o nome "Brasil"; ele está com uma bermuda verde e um óculos escuro de armação cinza.
Alan Fonteles também está na briga por medalhas no atletismo paralímpico. (Foto: Márcio Rodrigues/CPB)

O Brasil tem um ótimo histórico de medalhas nas Paralimpíadas. Até os Jogos do Rio, os brasileiros já subiram ao pódio nas provas de corrida, 31 vezes, das quais :

  • 6 delas por medalha de ouro;
  • 17 por medalha de prata;
  • e 8 por medalha de bronze.
Daniel Martins2016Rio de Janeiro400mOuro
Petrúcio Ferreira2016Rio de Janeiro100mOuro
Daniel Silva2016Rio de JaneiroRevezamento 4x100m masculinoOuro
Diogo Ualisson2016Rio de JaneiroRevezamento 4x100m masculinoOuro
Felipe Gomes2016Rio de JaneiroRevezamento 4x100m masculinoOuro
Gustavo Araújo2016Rio de JaneiroRevezamento 4x100m masculinoOuro
Odair Santos2016Rio de Janeiro5000mPrata
Fábio Bordignon2016Rio de Janeiro100mPrata
Verônica Hipólito2016Rio de Janeiro100mPrata
Felipe Gomes2016Rio de Janeiro100mPrata
Fábio Bordignon2016Rio de Janeiro200mPrata
Yohansson Nascimento2016Rio de JaneiroRevezamento 4x100m masculinoPrata
Petrúcio Ferreira2016Rio de JaneiroRevezamento 4x100m masculinoPrata
Renato Cruz2016Rio de JaneiroRevezamento 4x100m masculinoPrata
Alan Fonteles2016Rio de JaneiroRevezamento 4x100m masculinoPrata
Odair Santos2016Rio de Janeiro1500mPrata
Terezinha Guilhermina2016Rio de JaneiroRevezamento 4x100m femininoPrata
Lorena Spoladore2016Rio de JaneiroRevezamento 4x100m femininoPrata
Alice Correa2016Rio de JaneiroRevezamento 4x100m femininoPrata
Thalita Simplício2016Rio de JaneiroRevezamento 4x100m femininoPrata
Felipe Gomes2016Rio de Janeiro200mPrata
Petrúcio Ferreira2016Rio de Janeiro400mPrata
Felipe Gomes2016Rio de Janeiro400mPrata
Rodrigo Parreira2016Rio de Janeiro100mBronze
Yohansson do Nascimento2016Rio de Janeiro100mBronze
Teresinha de Jesus2016Rio de Janeiro100mBronze
Edson Pinheiro2016Rio de Janeiro100mBronze
Verônica Hipólito2016Rio de Janeiro400mBronze
Daniel Silva2016Rio de Janeiro200mBronze
Terezinha Guilhermina2016Rio de Janeiro400mBronze
Edneusa Dorta2016Rio de JaneiroMaratonaBronze

Nas edições de Tóquio, o atletismo é a modalidade que conta com o maior número de paratletas brasileiros; só nas corridas e maratonas, são 44. Acompanhe abaixo a lista de quem deve brigar por medalhas!

Alan Fonteles, Alex Pires, Ana Cláudia Silva, Ariosvaldo Fernandes, Christian Gabriel, Daniel Martins, Daniel Mendes, Edilene Boaventura, Edneusa Santos, Edson Cavalcante, Fábio Bordignon, Fabrício Ferreira, Felipe Gomes, Fernanda Yara, Gustavo de Oliveira, Jardênia Silva, Jerusa Geber, Jhulia dos Santos, Joeferson Marinho, Júlio Cesar Agripino, Kesley Teodoro, Ketyla Teodoro, Leylane Moura, Lorena Spoladore, Lucas Lima, Lucas Prado, Marco Aurélio Borges, Marivana Oliveira, Petrúcio Ferreira, Rayane Soares, Ricardo Mendonça, Rodrigo Parreira, Samira Brito, Táscitha Oliveira, Thalita Simplício, Thiago Paulino, Thomaz Ruan, Tuany Barbosa, Vanessa Cristina, Vinícius Rodrigues, Vitor de Jesus, Viviane Ferreira, Washington Júnior e Yeltsin Jacques.

Veja mais sobre a relação dos paratletas com os atleta-guias no vídeo abaixo!

Conheça mais sobre as próteses utilizadas pelos atletas paralímpicos no vídeo abaixo!

Doação via pix para o MaInd pelo e-mail giovanakury@gmail.com
Doação via pix para o MaInd pelo e-mail giovanakury@gmail.com

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.