Maranhão Independente

As notícias mais importantes escritas por jornalistas independentes do estado.
Olimpíada: natação artística ou nado sincronizado

Considerado um dos esportes mais bonitos das olimpíadas, a natação artística encanta pelos movimentos e sincronia. (Foto: Satiro Sodré/SSPress)

Entrando no clima das Olimpíadas, o MaInd está realizando uma série de matérias sobre os esportes que vão fazer parte dos jogos. Conheça a natação artística!

A natação artística ou nado sincronizado é uma modalidade olímpica relativamente nova, e que encanta pela beleza dos movimentos e sincronia de ritmos e música. Praticado exclusivamente por mulheres, a competição pode ser considerada uma das mais belas. Conheça mais!

Origens

Originalmente, a prática da natação artística era chamada de balé aquático, e surgiu entre o fim do século XIX e início do século XX.

Leia mais: quais as modalidades da natação?

De início, as provas eram disputadas apenas por homens. Mas na primeira apresentação do então balé aquático de que se tem registro, em Nova York, em 1907, foi uma mulher que brilhou: a australiana Annette Kellerman se apresentou em um tanque de vidro no New York Hippodrome.

Alguns anos depois, em 1934, a modalidade foi chamada de “nado sincronizado”, na Feira Mundial em Chicago, e os atletas passaram a se profissionalizar cada vez mais. Entre 1952 e 1968 esteve nos Jogos Olímpicos, mas apenas como esporte de demonstração; em 1973, já com o trabalho da Federação Internacional de Natação (FINA), teve seu primeiro campeonato mundial e em 1982, passou a ser considerado, oficialmente, esporte olímpico. A estreia foi nos Jogos de Los Angeles, em 1984.

As provas da natação científica

As disputas podem ocorrer em dueto ou em equipe (mínimo de quatro, máximo de oito pessoas). As notas, que variam de zero a dez, são atribuídas por uma bancada de árbitros, que consideram aspectos de acordo com a apresentação, considerando: rotina técnica: as atletas precisam executar movimentos obrigatórios, previamente estabelecidos pelos árbitros; e rotina livre, onde elas podem realizar movimentos e formações escolhidas pela própria equipe ou dueto.

O tempo de apresentação varia: a rotina técnica para duetos deve ocorrer em 2 minutos e 20 segundos; para as equipes, em 2 minutos e 50 segundos.

Na rotina livre, são 3 minutos e 30 segundos para os duetos e 4 minutos para as equipes.

Especificações da natação artística (Arte: rededoesporte.gov.br)

O Brasil ainda não tem tradição no esporte em Jogos olímpicos, mas vale a pena acompanhar as belíssimas que ocorrem entre 1º e 6 de agosto. Atualmente, o país que detém a hegemonia do pódio das competições é a Rússia, que há cinco edições dos Jogos Olímpicos não perde as medalhas de ouro que estavam em disputa – tanto em dueto quando em equipe! – e o favoritismo da vez, é novamente delas.

Curiosidades

A atleta de natação artística canadense está em uma piscina, com um traje branco e uma tiara na cabeça; a mão esquerda está erguida para o alto e a direita está estendida ao seu lado.
A atleta canadense Sylvie Fréchette durante apresentação. (Foto: Shaun Botterill/Getty Images)

A canadense Sylvie Fréchette perdeu a medalha de ouro nas Olimpíadas de 1992 em Barcelona por um erro de digitação de uma árbitra brasileira. Ana Maria da Silveira digitou 8,7 ao invés de 9,7, e quem subiu no maior pódio foi a norte-americana Kristen Babb-Sprague, que fez questão de trazer a canadense para perto de si no momento da entrega da medalha.

A canadense só recebeu sua devida medalha de ouro três anos depois, quando o Comitê Olímpico Internacional (COI) lhe entregou a honraria. Que sufoco!

Leia a série completa das olimpíadas em nossa editoria de esporte!

Ficou com alguma dúvida? Veja mais no vídeo abaixo!

Doação via pix para o MaInd pelo e-mail giovanakury@gmail.com
Doação via pix para o MaInd pelo e-mail giovanakury@gmail.com

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.