Maranhão Independente

As notícias mais importantes escritas por jornalistas independentes do estado.
Olimpíadas: caratê

Atleta de caratê Patrícia Carvalho. Foto: Reprodução/Budôpress.

Entrando no clima das Olimpíadas, o MaInd está realizando uma série de matérias sobre os esportes que vão fazer parte dos jogos.

O caratê é uma arte marcial originada no Japão que tem como objetivo a defesa pessoal sem uso de armas, daí a origem do nome. A palavra karatê em japonês significa “mão vazia”.
As competições de caratê podem ser do tipo kata (recebimento de pontos pela apresentação dos movimentos) ou kumitê (onde há o confronto entre dois caratecas).

Caratê nas Olimpíadas

O caratê vai ter sua estreia nos Jogos Olímpicos nesta edição. A aprovação para que o esporte seja uma modalidade olímpica aconteceu em 2016.
Nas Olimpíadas, o caratê vai contar com com a participação de 80 atletas, sendo que 20 vão estar nas competições de kata e 60 nas de kumitê, ambas com divisões para homens e mulheres.
No kumitê, serão considerados campeões aqueles que marcarem 8 pontos a mais que o adversário dando socos e pontapés executando bem as técnicas do esporte.
Em caso de empate, o primeiro atleta que pontuou vence a luta. Caso não haja pontos, os juízzes decidem o campeão.
As categorias são:

  • Masculino: menos de 67kg; menos de 75kg; mais de 75kg.
  • Feminino: menos de 55kg; menos de 61kg; mais de 61kg.

Nas competições de kata, os atletas devem executar movimentos como que simulassem uma luta. Os juízes atribuem pontos baseados em um sistema que avalia as escolhas dos atletas (ente os 102 movimentos possíveis) e a perfeita execução dos golpes.

Próximos representantes

O Brasil terminou o pré-olímpico sem nenhum atleta classificado para os Jogos de Tóquio.
O Atleta Vinícius Figueira tinha vaga garantida, mas depois de uma revisão do ranking feita pela Federação Internacional de Karatê (WKF), Figueira saiu do topo da lista e não está mais classificado.
A única chance de vaga restante é com Valéria Kumizaki que conseguiria a classificação pelo desempenho continental (Pan-Americano) da atleta, porque ela foi campeã do Pan de Lima em 2019.

Curiosidades

Okinawa-te

Ilha de Okinawa. Imagem: Wikipédia.

Inicialmente, essa arte marcial era chamada de Okinawa-te porque esses movimentos de defesa foram criados na ilh Okinawa no Japão no século XV quando foi proibido o porte de qualquer tipo de arma.
Quando foi criado, o Okinawa-te poderia causar graves lesões no oponente, mas na transição oficial para esporte, prevaleceu a técnica e a perfeita execução dos golpes, deixando de lado a caráter mais hostil da luta.

Favoritismo japonês?

Talvez sim, talvez não. Embora tenha sido criado lá, o esporte, hoje, conta com favoritos da Espanha. As apostas são nos atletas Sandra Sánchez e Damián Quintero, mas do Japão vêm os principais adversários desses dois atletas. Espera-se que os confrontos por medalhas sejam sempre entre esses dois países.

Fora de Paris

Até o momento, o caratê está fora dos Jogos de Paris 2024. O Comitê Olímpico Internacional já bateu o martelo e informou que nos Jogos de Paris em 2024 as modalidades novas serão apenas breakdance, escalada esportiva, skate e surfe.
Leia outras matérias da série clicando aqui.

Doação via pix para o MaInd pelo e-mail giovanakury@gmail.com

Modalidade Caratê

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.