Maranhão Independente

As notícias mais importantes escritas por jornalistas independentes do estado.
A obrigatoriedade do uso de máscaras vai continuar no Maranhão, diz Flávio Dino

Na manhã desta sexta-feira (11), Flávio Dino rebateu a declaração do presidente Jair Bolsonaro sobre o uso de máscaras durante a pandemia do Covid-19. Em transmissão ao vivo pelo Instagram do Governo do Maranhão, determinou que, no Maranhão, o uso seguirá obrigatório até que a situação esteja controlada.

“Nós vamos manter a fidelidade à ciência e ao bom senso no sentido de que as pessoas usem máscaras. (…) os indicativos frisam que nós precisamos da máxima proteção possível nesta hora de tantas dificuldades. Eu acredito que chegaremos a este momento [de parar de usar máscaras], mas não chegamos ainda”.

O governador do Maranhão acredita, ainda, que o Ministério da Saúde não vá dá o parecer flexibilizando o uso de máscaras, apesar de declaração de Bolsonaro.

Na última quinta-feira (10), o presidente da República disse que o Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, deve dar parecer desobrigando o uso de máscaras por pessoas que já foram imunizadas ou que já tiveram Covid-19 e se recuperaram. Em ambos os casos, porém, ainda existe possibilidade de infecção pelo vírus.

Horas depois, o ministro se pronunciou dizendo que o presidente pediu, na verdade, um estudo sobre a flexibilização do uso de máscaras. Queiroga ainda afirmou que, antes que haja essa flexibilização, a vacinação precisa avançar.

Vacinação no Maranhão

Ainda durante live desta sexta-feira (11), Flávio Dino comunicou que a cidade de Alcântara pode ser a primeira do Brasil a vacinar toda a população. Isso ocorre porque grande parte dos moradores pertencem a comunidades quilombolas, consideradas prioritárias pelo Plano Nacional de Imunização.

Sobre a Janssen, vacina de dose única, o governador diz que deverão chegar ao estado na segunda-feira (13) e, por estarem próximas à data de vencimento – 27 de junho -, devem ser aplicadas de forma rápida. As 90,7 mil doses, contudo, não serão distribuídas por todos os municípios maranhenses, e sim para as cidades da Grande Ilha (São Luís, Paço do Lumiar, São José de Ribamar e Raposa) e mais seis ou oito municípios.

A vacina russa Sputnik V, liberada para compra pelos estados mas ainda não aprovada pela Anvisa, de acordo com Flávio Dino, deve chegar ao Maranhão no próximo mês, julho. Durante junho, os estados que pretendem comprá-la seguem em contato com a empresa para conseguir os documentos que cumpram as 28 exigências impostas pela Agência, e esperam ter a liberação até o final deste mês. O contrato inicial do Maranhão engloba a compra de 4,5 milhões de doses da vacina.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.