Maranhão Independente

As notícias mais importantes escritas por jornalistas independentes do estado.
Modo maranhense de dançar Reggae pode virar Patrimônio Cultural Imaterial

A dança agarradinha é característica do modo maranhense de curtir o Reggae. Foto: Ingrid Barros/Sobre o Tatame

A proposta foi feita pelo gestor do museu do Reggae, Ademar Danilo.

Não existe um registro exato de quando o Reggae chegou ao Maranhão, o fato é que, especialmente nas periferias de São Luís, o ritmo está presente, seja nos clubes, seja nas casas de moradores que ostentam suas radiolas com as “pedras” cuidadosamente selecionadas. Razões que fizeram a cidade ser conhecida como “Jamaica Brasileira” desde a década de 80.

Além de ter adotado o ritmo, o maranhense também tem um modo agarradinho todo especial de dançar o Reggae,  veja abaixo:

“Apesar do reggae não ter nascido no Maranhão, nós desenvolvemos uma Cultura própria usando o ritmo como referência. O reggae influencia a maneira do maranhense de falar, de vestir e principalmente o estilo de dançar. A maneira de dançar é a parte mais visível dessa cultura.” afirmou Ademar Danilo, diretor do Museu do Reggae do Maranhão.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é secma.png
Secma a respeito da proposta sobre o Reggae agarradinho. Imagem: Twitter @secma_cultura

O Reggae já é considerado como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela Unesco dede 2018, agora Ademar Danilo elaborou uma proposta para que essa forma de dançar  também seja tombada como Patrimônio Cultural Imaterial, mas do Maranhão: “A ‘Dança de Reggae do Maranhão’ é identitária e se transformou mais uma importante representação da maneira de ser do nosso povo. No Brasil inteiro esse estilo de dança remete ao Maranhão.”, destacou. A proposta foi encaminhada para a Secretaria de Estado da Cultura (Secma) para posterior aprovação pelo governador Flávio Dino. Nas redes sociais da Secma, já foi sinalizado entusiasmo com a proposta.

Homenagens

E então, regueiro, você sabia que o Reggae já é homenageado, inclusive com datas comemorativas? Veja algumas:

Datas comemorativas do Reggae.
Imagem: Sâmia Martins/MaInd.

1º de julho – Dia Internacional do Reggae: em alusão ao dia em que Nelson Mandela foi à Jamaica, no ano de 1991, em visita logo após ter sido libertado da prisão.

11 de maio – Dia Nacional do Reggae: essa foi a data da morte de Bob Marley. O dia foi instituído em homenagem à Marley pela Lei n° 12.630/2012, sancionada pela presidenta Dilma Rousseff.

5 de setembro – Dia Municipal do Regueiro: instituída em São Luís pela Lei nº 4102/2002.

Museu do Reggae do Maranhão

Fachada do Museu do Reggae
Fachada do Museu do Reggae do Maranhão.
Foto: Kaio Lima e Sâmia Martins/MaInd.

O Museu no Maranhão, fundado em janeiro de 2018, é o primeiro sobre o ritmo fora da Jamaica, mas não se foca apenas na história do Reggae fora do país, mas em como esse ritmo é característico do estado, até as salas em que o local é dividido são nomeadas com nomes de clubes famosos localizados em São Luís. O local simula as festas, apresentas “pedras” clássicas e leva o visitante a conhecer não só a música, mas a experiência do Reggae no estado.

Uma das principais atrações do Museu é a oficina de dança que ensina o modo agarradinho característico maranhense. No entanto, o espaço vai passar por reformas de ampliação, desta forma as visitações estão suspensas.

O Museu fica localizado na Rua da Estrela, nº 124, no Centro Histórico de São Luís/MA.

1 comentário em “Modo maranhense de dançar Reggae pode virar Patrimônio Cultural Imaterial

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.