Maranhão Independente

As notícias mais importantes escritas por jornalistas independentes do estado.
Linguagem não-binária em discussão na Alema

Deputada Mical Damasceno é autora do projeto. Foto: Kristiano Simas – Agência Assembleia

Deputada criou projeto de lei que proibe o uso dessa linguagem em instituições de ensino.

A deputada estadual Mical Damasceno (PTB) protocolou projeto de lei na Assembleia Legislativa vedando o uso da linguagem neutra ou não-binária na grade curricular e no material didático das instituições de ensinos públicos ou privados. A deputada defendeu este projeto em sessão na Alema no dia 10 de maio. Ouça o discurso na íntegra.

Mical Damasceno apontou o uso dessa linguagem como um afronte à língua portuguesa e aos valores éticos e morais referindo-se a ela como uma “modinha insana”. A deputada citou a Universidade Federal do Maranhão e o Ministério da Educação como instituições que realizaram publicações usando essa linguagem, mesmo não mostrando documentos oficiais das instituições com essa utilização.

Buscamos documentos oficiais e não encontramos nenhum nem da UFMA, nem do MEC com a linguagem neutra, apenas em poucas publicações em redes sociais, onde a linguagem adotada é informal na maioria das publicações, inclusive recorrendo a memes e piadas, como na imagem abaixo:

Publicação em vermelho com letras amarelas do perfil no Instagram da Universidade Federal do Maranhão trazendo um aviso sobre a lista de espera. Abaixo do aviso há a imagem de Galvão Bueno gritando "aguenta, coração"e no texto da legenda está escrito todos, mas a segunda vogal o é substituída pelo arroba.
Publicação com linguagem não-binária. Fonte: Instagram/Ufmaoficial

Também perguntamos para diversos professores das redes federal, estadual, privada e municipal (São Luís) se eles teriam recebido algum tipo de orientação a respeito para que adotassem essa linguagem ou se os materiais didáticos estavam de acordo com a linguagem não-binária, mas todos negaram que isso aconteça.

O projeto de lei está para análise da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Alema.

Quem é Mical Damasceno?

A deputada é natural de Anajatuba, mas vive em Viana. Em 2007, filiou-se ao Partido Popular Socialista (PPS) onde não conseguiu se eleger a vereadora pelo município de Viana. Em 2014, ficou na suplência como deputada federal, mas agora pelo Partido Social Democrata Cristão (PSDC). Até que em 2018 foi eleita para o cargo que está até hoje, deputada estadual, pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). A deputada tem diversos projetos de leis voltados para moral cristã.

O que é linguagem não-binária ou neutra?

Essa linguagem tem como objetivo evitar generalizações no masculino e incluir pessoas que não se identificam nem com o gênero masculino, nem com o feminino.

Nessa linguagem, já foi sugerido que as marcações de gênero (O/A) fossem substituídas por @ ou X, mas dificultaria falar as palavras e os softwares de leitura (usados por pessoas com deficiência visual) não conseguiriam identificar essas palavras. Por isso, adotou-se o uso do E, como em “Queremos todes prontes”.

Essa questão não é recente. O latim tinha a presença do gênero neutro, mas caiu em desuso com o passar do tempo. No inglês, o gênero neutro está presente pela palavra it. A HBO lançou um manual para quem quiser saber mais como utilizar essa linguagem. Clique aqui para ter acesso.

1 comentário em “Linguagem não-binária em discussão na Alema

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.